domingo, 24 de agosto de 2008

Eu sou um Masoquista arrependido

Eu disse a frase titulo do texto certa vez, a algum tempo atrás, numa aula sabe zeus do que. Duas pessoas ouviram, eu mesmo, e uma companheira de curso, de conversas, teorias, filosofias e entre outras coisas, sorrisos.
A frase foi dita ao sentir a dor de uns arranhões que eu me sujeitei a levar naquele mesmo dia.
Hoje, porém, ela me veio a mente há alguns momentos, porque eu me dei conta que eu realmente sou um masoquista arrependido, e posso até ser tido como sádico pela minha atitude, mas é masoquismo puro.

Eu simplesmente gosto de criar caso, discutir por coisas fúteis, entrar em debates sem pé nem cabeça, sem eira nem beira, simplesmente pra discutir, e não parar de discutir, eu não paro, não consigo parar, especialmente em se tratando de coisas fúteis nas quais ninguém tem razão.
Mas, além disso, e pior do que isso: Eu gosto de criar caso com pessoas que eu gosto. O problema é que ao criar caso com pessoas que eu gosto. E isso chega a um ponto tal que faz com que as pessoas fiquem chateadas comigo, sentidas por tanta marcação, tanta criação de caso, tanta fanfarronice por coisas inúteis, e daí então eu me arrependo.

Ao ser desprezado eu tento, em vão, me redimir naquele momento, eu possivelmente ao reconhecer o motivo fútil do meu intento dissertativo, acabo, no fim das contas, sendo perdoado.
Pra em outra ocasião criar caso de novo.


Definitivamente eu sou um masoquista arrependido.

Um comentário:

bruna disse...

eu nunca percebi isso.
será que você não gosta de mim? rsrs