quarta-feira, 22 de abril de 2009

Aprendendo a voar.

Baby, me dá uma carona?
Abra minhas asas e me faça voar como pedra chutada, como bala cruzada, voar para o tudo e para nada.
Quanto mais alto o voo menores as diferenças, menor a importância.
Mais alto, mais longe da terra, mais liberdade, menos medo.
Insegurança não existe mais, não há nada importante deixado para trás, nada é mais importante que o seu voo.
Seu único voo, apenas seu, de mais ninguém.
Quanto mais alto o voo, maior a queda.
E que se voe tão alto que a queda seja fatal.
Se a queda não for o fim, aquele não foi o seu voo.
A queda é um mergulho, é parte do voo, talvez a parte mais importante, independente disso é a última, é veloz, feroz, vertiginosa, bela e cruel.
Não há mais nada para decidir, só há você, e a única segurança que você jamais teve em sua vida, o fim.


Baby, come with me
Let's have a drunk flight

2 comentários:

gabriela disse...

Pegue na minha mão e não olhe para baixo :)

miakoreto disse...

Voar. É o que a gente quer, nao é?
E que a queda seja o fim de tudo.
amém.